Microagulhamento Capilar, Mais Uma Ferramenta No Tratamento Da Calvice

A calvície é uma doença crônica, geneticamente determinada. Muitas vezes os homens e as mulheres que tem essa condição sofrem com o aspecto estético dos cabelos. Os tratamentos clínicos se tornaram o maior aliado desses pacientes, porem nem sempre o resultado obtido é o suficiente. Para os casos mais leves de calvície em tratamento clinico tem se o IPCA (microagulhamento + Drug delivery) e para os casos mais intensos o implante Capilar. 

Segundo o dermatologista Dr. Arthur Basile, professor da faculdade de medicina da Barão de Mauá em ribeirão preto, o tratamento com o dermaroller cria microlesões no couro cabeludo do paciente para estimular o local a produzir fatores de crescimento endógenos, responsáveis pelo surgimento dos novos fios. A técnica também auxilia e potencializa a absorção dos cremes e loções que são aplicadas durante o procedimento. Assim haveria dois estímulos diferentes, primeiro o dano tecidual, e segundo a absorção de medicamentos que estimulam o crescimento capilar (finasterida, minoxidil, fatores de crescimento).

O microagulhamento só pode ser feito por dermatologistas, esse é o profissional habilitado a fazer esse procedimento. A técnica tornou-se popular para tratar problemas de pele e combater o envelhecimento. Mas, hoje, também vem sendo usada com extremo sucesso no combate à Alopecia (calvície) em associação a outros medicamentos e procedimentos.

Como funciona o tratamento?

Como o próprio nome indica, Microagulhamento consiste na utilização de diversas agulhas minúsculas esterilizadas e feitas de aço cirúrgico ou titânio. Elas podem estar encaixadas em um rolo (Dermaroller), que tem cerca de 200 agulhas, para auxiliar a sua aplicação na pele. O dermatologista desliza esse rolo no paciente, causando mínimos ferimentos, que aumentam a vasodilatação e estimulam a formação de colágeno pela pele. Nesse processo, as substâncias (cremes e loções) que são usadas para estimular o crescimento de novos fios são injetadas no paciente e por conta das pequenas aberturas causadas pelas agulhas, atuam com mais efetividade e rapidez no organismo. Esse procedimento de absorção dos medicamentos diretamente na pele do paciente é chamado de “drug delivery” pelos médicos.

O dermatologista de Ribeirão Preto, ressalta que o combate à calvície com microagulhamento é sempre associado ao uso de medicamentos que inibem a perda de fios e estimulam o crescimento do cabelo. Podem ser substâncias que vão atuar na produção hormonal dos pacientes, como nos casos de Alopecia Androgenéticas, ou apenas substâncias que irão fortalecer o couro cabeludo. Tudo dependerá do diagnóstico dado pelo dermatologista. Para isso, recomenda-se que o paciente faça uma consulta Capilar para identificar quais são, exatamente, as causas da sua queda de cabelo.

O microagulhamento é muito indicado pelos dermatologistas para combater problemas na pele como flacidez, estrias, manchas de acne, melasma e cicatrizes. Além do couro cabeludo, o procedimento pode ser feito em qualquer lugar do corpo, como rosto, mãos, braços, seios, coxas, colo, pescoço, abdômen, entre outros.

 Registro do equipamento e esterilização

Tome muito cuidado com o local onde fará o tratamento com microagulhamento. Certifique-se de que você está sendo atendido por um médico, de preferência um dermatologista, e que o equipamento seja esterilizado de modo a evitar qualquer tipo de contaminação.

Pergunte sobre o registro do equipamento pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Essa certificação garantirá que o produto segue os padrões de qualidade exigidos em relação ao tipo de aço usado, comprimento e diâmetro das agulhas e o número total de agulhas colocadas no rolo. Esse cuidado é necessário para a manutenção da sua saúde.

A aplicação do microagulhamento

De forma lenta e cuidadosa, o dermatologista aplicará, primeiramente, um creme anestésico na pele ou couro cabeludo do paciente. Após meia hora, a anestesia já estará agindo e o profissional começa a movimentar o aparelho com as agulhas na região afetada. São realizadas cerca de 10 a 15  voltas em um mesmo local, durando cerca de 30 minutos a sessão. É normal que haja um pequeno sangramento. Serão necessárias no mínimo 4 sessões para se obter algum resultado com intervalo de quinze dias entre as sessões.

O tipo de agulha e pressão usada varia de acordo com a escolha do médico e o objetivo final do tratamento. É fundamental que sejam aplicadas agulhas mais finas em regiões mais sensíveis. Por exemplo, em tratamentos no couro cabeludo no combate à queda de cabelos são necessárias agulhas bem mais delicadas, assim como os procedimentos faciais, normalmente feitos para melhorar sinais de envelhecimento, manchas ou acne.

Por se tratar de um tratamento delicado e invasivo, o paciente deve tomar cuidados com a pele durante todo o processo. Evitar exposição ao sol, tomar bastante água e seguir todas as recomendações médicas. O sucesso do procedimento depende tanto dos esforços médicos, quanto do paciente.

Agende sua consulta